“Desisti de ser vegetariana e comecei a comer carne novamente – para salvar o planeta”

18.06.21

“Desisti de ser vegetariana e comecei a comer carne novamente – para salvar o planeta”

noticia

Uma recente reportagem do jornal britânico The Telegraph merece atenção, com relatos da escritora Clare Finney, que investigou o impacto ambiental da indústria da carne – e suas descobertas desafiaram todos os seus preconceitos.

Separamos alguns trechos. A versão na íntegra está disponível exclusivamente para assinantes do The Telegraph (link no final do post).

“Quanto mais pessoas aderiram ao movimento ‘plant based’, mais comecei a questionar sua legitimidade. A agricultura industrializada é insalubre, tanto do ponto de vista ético quanto ambiental”.

“Me interessei em saber como os grandes fabricantes de ‘alimentos’ estavam lucrando e encobrindo a verdade – de que alimentos à base de plantas também podem ser problemáticos, com monoculturas, plantações geneticamente modificadas e fontes insustentáveis de óleo de palma, todos representando ameaças graves para o planeta”.

“O que aprendi sobre os subprodutos do comércio de laticínios – como as fêmeas abatidas e compradas para refeições de ‘estimação’ no final de sua vida de ordenha – tornou impossível ignorar a hipocrisia de minha denúncia de carne enquanto devorava queijo.”

“O que não esperava era ser informado de que era possível comer carne e queijo de forma não apenas para diminuir o impacto no meio-ambiente, como também para contribuir para a contenção de uma futura catástrofe climática”.

“O argumento ambiental a favor do consumo de carne e laticínios é avançado, e o que mais destaca pertence à agricultura regenerativa: práticas agrícolas e de pastagem que revertem as mudanças climáticas locais, restaurando a biodiversidade e reconstruindo a matéria natural no solo”.

“Quando você pensa sobre a densidade de nutrientes de cordeiro, boi, cabra e assim por diante, e as vantagens mais amplas que os ruminantes podem transmitir ao solo, a carga ambiental diminui consideravelmente”.

“As emissões de carbono de uma refeição devem ser medidas não de acordo com sua massa, e sim de acordo com as vitaminas que ela contém e seu potencial para compensar as emissões de carbono no meio de sua fabricação”.


Fonte:

https://www.telegraph.co.uk/health-fitness/nutrition/diet/gave-vegetarian-started-eating-meat-save-planet/

Receba nossas
novidades
e conteúdos

Preencha seus dados


    Ao assinar você automaticamente concorda com a nossa Política de Privacidade e Política de Cookies.